terça-feira, 6 de outubro de 2009

Transistando na chuva


É sério! Quase duas horas. Pelos meus cálculos, esse foi o tempo que gastei para percorrer, DE CARRO, do bairro Coração Eucarístico, na região Noroeste da cidade, à Savassi, na Centro-sul. Não fosse a chuva, que começou por volta das 18h - famosa hora do rush ou horário de pico -, levaria, do trabalho à pós-graduação, estourando, quarenta minutos.

Mas poderia ser menos. A chuva, aliada ao tradicional congestionamento que para as avenidas Amazonas e do Contorno, me fez perder um bom tempo no trânsito. No caminho, motoristas mal-humorados e sem paciência; um cruzamento interrompido na Via Expressa, que me fez dar uma volta danada; uma batida entre um carro e um ônibus; e galhos de árvores espalhados pelas ruas.

Achou ruim? Que nada. Poderia ter sido pior, caso tivesse saído naquele horário, quando a chuva caia com mais força e o fluxo de carros era maior. Por isso mesmo resolvi esperar. Além do mais, estava sem guarda-chuva - que não tenho mesmo o costume de carregar - e meu carro estacionado em um local distante de onde costumo parar.

Tirando o tempo perdido e a metade da aula não assistida, a viagem foi até produtiva. Na bagagem: notícias do futebol e da Voz do Brasil - dessa vez ouvi, sim, o noticiário ... e todinho. E com um detalhe: o som de fundo das buzinas alheias. No final das contas, um beep beep mm beep beep yeah, na voz dos Beatles em Drive My Car, teria caído muito melhor.

A foto que ilustra este post foi retirada daqui.

Um comentário:

Fi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.