quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Alzheimer precoce


Começo de ano. Contas e mais contas pra pagar. Lá estou eu, mais uma vez, enfrentando fila de banco. Na minha frente, uma senhora de uns sessenta e poucos anos.

Após finalizar seu pagamento, ela deixa o caixa, em direção à porta giratória. Segundos depois, volta. Bem humorada, comenta: “Esqueci meus óculos. Acho que é o Alzheimer precoce. Eu ando esquecendo tudo ultimamente”.

Sorrindo e tentando estabelecer empatia com a jovem senhora, disse a ela pra não se preocupar, que é normal e às vezes acontece, até mesmo comigo.

Em seguida, ela respondeu:

“É, meu filho, você tem razão. Acontece. Mas, sabe de uma coisa. O meu marido velho lá em casa ... ah, aquele eu não esqueço jamais”, finalizou a senhorinha, com um ar de satisfação estampado no rosto.

Ilustração retirada da internet. Link na imagem.   

5 comentários:

Flávia Reis disse...

Ah... que fofo, Fer! Velhinhos, às vezes, são tão doces! rs rs rs...

Fernando Ávila disse...

Com certeza, Flávia !!! E essa aí foi uma doçura só ... O jeito dela falar me tocou profundamente ... Apesar da fila enfrentada e das contas pagas - o que significa menos dindim pras outras coisas-, saí de lá com uma curta, mas bonita história ... bjos

lilian disse...

"Assim como os picos cobertos de neves são bonitos,os cabelos brancos da velhice também tem sua beleza. Não apenas beleza, mas sabedoria também, de que nenhum jovem pode se vangloriar"

Osho

Fernando Ávila disse...

Ei, Lilian. Bem-vinda !!! Muito sábia esta citação. Com certeza, a maturidade traz muitas coisas boas para a vida das pessoas. A sabedoria é uma delas. Mas me refiro não àquela que se aprende nos bancos da escola, mas à sabedoria de vida, fruto das experiências no relacionamento com o outro.
abraços

Déda disse...

O amor é lindo!